quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Olhar

Não consigo olhar para o passado e apelidá-lo apenas de terrivel, horroroso ou tenebroso, só porque... já passou.
Olho antes, para aquilo que aprendi com ele.

Nem sempre se aprende só de coisas boas, as melhores lições da vida são mantidas pelo sofrimento.

Sinto que 2008 me amadureceu.
Olho para ele e vislumbro-me mais enriquecida.

Triste com a vida teimar em não estabilizar, mas continuo a batalhar por uma vida melhor para o dia de amanhã, não fosse eu muito teimosa.

Olho para mim no alto dos meus 29 anos e sinto-me uma miuda que virou mulher.
Tenho-me na imagem de uma eterna miuda, mas sinto-me uma mulher madura, decidida e forte.

Olho para um qualquer desafio e sigo em frente, com humildade e sem vergonha para assumir o que não sei fazer, tentando aprender a conseguir fazer sem altruísmos baratos nem imaturidade.

Lamento que existam pessoas com mais anos de vida do que eu e que não consigam ver.
Olhar para a vida como um todo, sem se cingirem a 1,80mt de ser físico.
Tenho em mim a ideia do quão essas pessoas terão que sofrer e obrigar outros a sofrer, para que consigam aceitar a filosofia de viver em sociedade com dignidade e seriedade.

Gosto que me olhem e sintam o que faço, falem do que gostam e do que não gostam, abraçem os meus ideais ou revoguem outros diferentes.
Mas que falem, se expressem... cara a cara, olhos nos olhos.

Tenho encontrado pessoas que trabalham com honestidade e profissionalismo, mas surgem outros que amedrontados com a minha estrutura equilibrada, serena e apaziguadora me tomam como um inimigo.
Esta minha atitude ganhou à ganância de um alguém... porque soube responder na altura certa e soube estar calada nos momentos seguintes.
Conseguindo de uma forma natural, manter sempre a mesma atitude, sem inquietações e sem falsidades... não consigo deixar de me sentir orgulhosa, porque batalhei por ser assim.
Depois deste episódio estranho e que me fez sentir magoada, ser defendida por alguém superior na hierarquia da empresa, sabe melhor ainda... dou-me a este previlégio.

Olho-me e vejo uma estrutura sólida, resistente e tranquila... num patamar de maturidade que me faz amar e perdoar com o propósito de evoluir e continuar a sentir-me... assim... de bem com a vida e com os outros... sem pensamentos absurdos que não levam a lugar nenhum.

Olhem-se e apreciem-se!
A vida são 2 dias...

2 comentários:

Carla - Vida a 5 disse...

Já corrigi o endereço... Acontece. Ahahahahah.
Olho sempre as pessoas nos olhos quando falo com elas.
:)

Juli disse...

Diana, Me chamo Juliana e gostaria muito de escrever-te um e-mail.. li um depoimento seu em 2004 e estou com um mesmo problema dos ovarios, estou super preocupada e gostaria de uma opniao de alguem que ja passou por isso.. meu e-mail eh: julik_zli@hotmail.com (Tenerife).. Muito obrigado desde ja.