quarta-feira, 30 de setembro de 2009

SAG - Serviço de Atendimento à Gripe A (virus H1N1)

Afonso

14H35 - Chegada ao SAG
16h30 - Triagem feita por uma enfermeira
16h55 - Nova triagem (falha informática)
17h05 - Atendimento feito por uma médica
clínica geral
...........(com pouca ou nenhuma experiência com crianças, a miudos tão pequenos não é feito qualquer teste para comprovar a presença do vírus)
17h45 - Chegada ao Hospital
17h50 - Atendimento feito por uma pediatra
(excelente atendimento)
18h05 - Saída do Hospital
............ Diagnóstico - FARINGITE
(medicação leve)






Sintomas:

  • Dia anterior:
    rouquidão
  • Noite:
    febre (38.7º - Brufen 06h30) + agravamento da
    rouquidão + dor de garganta + tosse + brônquios obstruídos
  • 11h00:
    telefonema - Saúde 24 (808 24 24 24 - opção 2) - enfermeiro

    mantém estado febril 36.5º - ainda sob o efeito
    do antipirético
    perguntas/ respostas
    não dar qualquer
    tipo de antipirético até chegar ao SAG
    Excelente atendimento.

Eu que andava muito longe da azáfama e alarmismo em torno no vírus H1N1, dei por mim ontem, a perceber o quão dramático e grave pode ser o meu Rafael contrair este vírus, por mais injusto que isto possa parecer, não era o Afonso que me preocupava (conheço o sistema imunitário deste meu filho)
Percebi que em minha casa, não tinha alcóol, nem qualquer tipo de desinfectante (agora na "moda").
Vi que ele pode andar bem perto, inclusivamente já apanhou gente do nosso grupo de amigos "íntimos", e... tive medo.

Numa manhã tive que organizar e desorganizar vidas independentes da minha, para o caso de se comprovar a Gripe no Afonso, para que pudesse afastar o meu Rafael deste perigo. Já tinha tudo controlado, para o caso de ser.
Ainda bem que não era... ok, talvez para já, mas talvez nem apanhe.
Se o meu Rafael ficar doente à conta deste vírus, terá que ser internado, porque ele é doente crónico e portanto de risco. É asmático, tem rinite, é alérgico à penicilina e não pode tomar Ventilan... que belo mix!
Estava mesmo muito consciente que apenas acontece aos outros...
Ontem tive um "abre olhos".

..................................................................................................................

Notas soltas:

SAG - zona de impacto
Pessoal médico e não médico a assar debaixo de pelo menos 2 camadas de roupa sintética, luvas que fazem transpirar, máscaras incómodas até dizer chega... e mesmo assim a trabalhar.
É um ambiente pesado, com crianças meio assustadas com tal aparato e pela forma como se isolam as pessoas (sem música e sem TV para distrair as horas que vão passando... e uma pessoa a assar).
Um bem haja aos dispensadores automáticos de gel alcoólico! muito o meu Afonso se distraiu à conta daquele automatismo :D
Tal era a exigência da higienização, que havia uma senhora sentadinha à porta da única wc disponível, pronta a limpar aquela divisão após a saída das pessoas
(pormenor).
Falha importante --- deveria haver 2 salas independentes, uma só para adultos e outra para só para crianças. Os sintomas e a forma destes se fazerem notar nas crianças são diferentes dos dos adultos, por isso são mais os adultos efectivamente infectados do que as crianças que são encaminhadas para este serviço por exigência de uma série de planos, e que acabam por estarem mais expostas.

Sala da Gripe na Urgência do Hospital:
Serviço extremamente bem organizado, com atendimento pessoal, simpático, directo e rápido.
Não deixa de ser confuso o aparato de gente completamente tapada a vir buscar a criança à sala comum... basta imaginar a visão de alguém com apenas alguns anos de vida e com pouco mais de 1 metro de altura.
Resta aos pais ajudar a criança a ver tudo aquilo como uma nova forma de o ajudar a ficar bom.

Ficou a experiência.

3 comentários:

Anónimo disse...

É gaja, uma pessoa detesta este alarmismo todo, mas quando nos toca a nós... a coisa muda de figura!

As melhoras pró tonto :)

jocas

kombi disse...

uiiiii.....ainda bem que não passou de uma farinjite.

por aqui das vezes que tivems que ir ao hospital ou ao centro de saúde a consultas externas noto que o ambiente é o normal nada de desinfectantes ou outros alarmismos, agora não sei se têm salas de isolamento.

esperemos que a gripe nos passe a lado e as melhoras para o miúdo.

Rita :-) disse...

Ó amiga que sufoco, bolas!

Beijos,
Rita e Di :-)