terça-feira, 11 de novembro de 2008

Ambição profissional


Se eu não tivesse filhos seria uma workaholic.
Não tenho dúvidas disso.

Por vezes no silêncio do fim do dia, quando estamos bastante acordados sentimos uma capacidade imensa de continuar.
Por mais frio que possa parecer, eu seria capaz de abdicar da lenga lenga do final do dia: jantar/ roupa/ mais roupa/ limpezas/ banhos rápidos, por umas horas extra no trabalho.
Tivesse eu alguém que me desse o apoio na casa e nos miudos.

Talvez se tudo isso se processasse assim eu conseguisse ter fins de semana em família descontraidamente, com mais tempo e cabeça para fazer pequenas coisas com os miudos, coisas essas que resumem a maternidade (deveres e direitos).

Provavelmente um dia.
Sou suficientemente ambiciosa na minha profissão para que um dia isso possa acontecer, não só para meu brio profissional como também para a minha qualidade de vida pessoal.


Em 2 anos consegui superar as minhas expectativas.
Dei um passo grande profissionalmente, aprendi muitas coisas, cresci na minha profissão e amadureci pessoalmente, mas principalmente acreditei em mim, na minha evolução.

Talvez para o ano quando completar 30 anos me sinta no meu auge, na minha melhor fase como pessoa. Acredito que sim.

Acredito que o acreditar é essencial.
Ter uma ambição saudável, saber ser paciente no local de trabalho, esperar pelo melhor momento para falarmos de algo que nos desagradou, são factores importante, nada de "pêlo nas ventas", nem de "sangue quente", para quê?
Como o outro diz - - - vale a pena pensar nisto

5 comentários:

Dois Rebentos ( de Soja) disse...

Penso da mesma forma...e a parte do workaholic já fui...e voltou novamente e acho que com mais força...o melhor é que consigo produzir mais em menos tempo, o que é sem dúvida excelente porque consigo sair a horas decentes e tratar das coisas em casa...mas se for necessário ainda trabalhar em casa.
Bjs

Rita Costa disse...

Acho uma maravilha lutarmos pelo que desejamos!

Beijo beijo

patricia disse...

O pêlo na venta há muito que se foi, isto adquire-se com idade e a maternidade, estou em crer, agora pensamos e ponderamos antes de dizer algo no calor do momento e depois arrependermo-nos amargamente e não haver solução para aquilo que se disse...

Carla - Vida a 4 disse...

Já trabalhei muitas vezes pela noite a dentro. Antes de ter crianças por volta das 7 da tarde lanchava para continuar por mais umas horinhas. A hora de saida era sempre depois das 9 ou 10 horas. Agora não. Nem me estou a ver a voltar a fazer isso, mesmo se tivesse ajudas em casa.

Boa sorte.
Bjs

Rita Costa disse...

Fico à espera do bolo... e olha que tem que ser grande... somos muitos e... comilões... lol!!!!

Beijo grande