domingo, 28 de setembro de 2008

Emoções


Adoro sentir.
Emociono-me com alguma facilidade quando estou entregue ao que vejo ou ao que ouço.
Seja quando ouço um artista a cantar e que é aplaudido exaustivamente, sentir aquela felicidade natural e sincera de reconhecimento versus árduo trabalho...
Seja quando vou a uma peça de teatro em que há actores merecedores de mérito e que no final da peça são atingidos pelos insurdecedores aplausos mantidos de pé pelos espectactores...
Seja no cinema, como me aconteceu ontem, em que chorei em dois especiais momentos do filme (Mama Mia), num que me tocou como mãe (e este é sem sombra de dúvidas o meu "calcanhar de Aquiles") e noutro que me tocou pela entrega da actriz à canção e à representação. Ri da simplicidade da história envolta num misto de sentimentos de saudade e cumplicidade.

Sou capaz de chorar ao ouvir histórias na TV, imagino aquela dor, aquela vida... tenho imensa facilidade em entrar na personagem.
Não consigo ver ou ouvir sem tentar perceber ou sentir.
Sem julgamentos.

Emociono-me pela simples beleza do sentir ou pela pureza do verdadeiro sentimento... aquele que causa um arrepio na pele, um aperto na barriga, um nó na garganta e lágrimas que rolam no rosto e lavam o sorriso esmagador nos lábios.

Vivi muitos anos fechada na frieza ingénua da idade, abri-me ao mundo quando me senti amada, deixei-me apaixonar e entreguei-me a uma outra fase da vida... à de dar sem esperar que se receba primeiro.
Sentir as emoções alheias é saber ouvir dando o nosso tempo à outra pessoa, é dar sem intenção de receber... e é das melhores coisas da vida.
A capacidade de parar para sentir o que o outro sente... é um dom, só pode ser!
Ter a riqueza de não pensar só no interesse próprio concerteza que será obra do bem.

Aprender a controlar as emoções é uma exigência normal da convivência em sociedade.
Saber aprender com os sentimentos dos outros é uma mais valia para essa convivência.

O que seríamos nós sem emoções?


6 comentários:

luar disse...

sou como tu...
eu pareco uma maria madalena de tanto chorar...
olha ainda agora acabei de ver a serie donas de casa desperadas e o q me fartei de chorar :S enfim.....mulheres axo...

mas tamebm tenho a parte de rir nao e so chorar ne::...... :)

bjs

sandracosta disse...

Um corpo vazio.
Vazio de sentimentos, de alma!!!
Beijos
Sandra

Monica disse...

Ainda bem que há mais gente assim :)
Beijocas

Cláudia Costa disse...

Olá Di,
Não te tinha falado do blog?
Peço desculpa... Mas agora que já sabes o caminho serás sempre bem recebida no meu cantinho.
Bwijos grandes.
Cláudia Costa

Rosane disse...

Minha amiga,
Há algum tempo atrás cheguei a pensar que só eu era assim. Sou igual a ti, uma "torneira aberta". Ainda bem que temo sentimentos não?
Beijinhos,
Ro.

Anónimo disse...

Sem emocoes, nao somos nada, somos ocos , vazios , tristes,............
tambem sou assim
beijokas
xanasofia